• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

SOS Transposição reúne lideranças políticas e movimentos sociais

O ato SOS Transposição, realizado no último domingo (1º/09), em Monteiro-PB, contou com lideranças políticas de toda a região Nordeste, bem como movimentos sociais de diversas bases

Publicado: 02 Setembro, 2019 - 19h33 | Última modificação: 02 Setembro, 2019 - 19h43

Escrito por: Elara Leite

Divulgação
notice
O ato SOS Transposição, realizado no último domingo (1º/09), em Monteiro-PB, contou com lideranças políticas de toda a região Nordeste, bem como movimentos sociais de diversas bases, inclusive de sindicatos cutistas. A manifestação foi um sinal de resistência e de defesa da obra, cuja água deixou de ser bombeada para mais de trinta cidades, prejudicando milhares de pessoas.
 
 “As pessoas sabem da importância da obra e que a Paraíba terá uma grande dificuldade de água se aquela obra não funcionar como deve. Para mim, foi um ato bastante expressivo. É uma força muito grande da população da região como de outras cidades que se solidarizaram com aquele povo. Foi o momento de mostrar a indignação com o ataque o Nordeste tem sofrido com esse governo”, ressaltou o presidente da CUT-PB, Paulo Marcelo.
 
 A ação foi convocada pelo ex-governador Ricardo Coutinho e a concentração teve início com as pessoas na entrada de Monteiro, onde fica uma das saídas da água do canal da transposição. Depois, houve caminhada pelas ruas até o centro da cidade.

Os manifestantes demonstraram preocupação com a região, na qual a falta de água já está começando a ocorrer em alguns açudes, com consequências graves para o Estado a partir do próximo mês.
 De acordo com Paulo Marcelo, as chuvas que estão acontecendo no litoral não são suficientes para resolver o problema. “Apesar de ter chovido no litoral, não é uma chuva que sobe até o cariri para fornecer água para beber, para os animais, para plantações, porque aquele canal também foi feito com esse objetivo, para a pequena agricultura que iria se beneficiar dela. Sem isso fica muito difícil”, comentou.
 
 O ato também repudiou as atitudes do governo em relação ao meio ambiente, às políticas públicas de educação, saúde, entre outras. Os participantes aproveitaram o momento para reverenciar o criador da obra, o ex-presidente Lula, que está preso sem provas, reivindicando sua liberdade o mais rápido possível.
 
 SOS Transposição teve a presença do ex-candidato à presidência Fernando Haddad; do ex-governador Ricardo Coutinho, da presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann; da vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos (PCdoB-PE); dos senadores Humberto Costa (PT-PE) e Veneziano Vital do Rego (PSB-PB); dos deputados federais Gervásio Maia (PSB-PB), Frei Anastácio (PT-PB), Damião Feliciano (PDT-PB), Natália Benevides (PT-RN) e João Campos (PSB-PE), filho de Eduardo Campos; dos deputados estaduais Anísio Maia (PT-PB), Buba Germano (PSB-PB), Cida Ramos (PSB-PB), Estela Bezerra (PSB-PB) e Chió (Rede), bem como os vereadores Marcos Henriques (PT-PB) e Sandra Marrocos (PSB-PB). Uma muda de Umbuzeiro foi entregue a Fernando Haddad por movimentos sociais e representantes do MST. O evento contou ainda, com presença de vereadores e prefeitos de diversas cidades.
 
 Participaram do ato representações das cidades de Patos, Cajazeiras, do entorno de Monteiro, Sumé, Serra Branca, São João do Cariri, Recife, Arcoverde e João Pessoa, que enviou mais de dez ônibus. Havia ainda representações do Ceará e do Rio Grande do Norte.
 
 Paulo Marcelo destacou que foi um ato bastante positivo e que todas as presenças foram significativas, incluindo a do ex-candidato Fernando Haddad. Conforme pesquisa Vox Poṕpuli divulgada nesta segunda-feira (2), se a eleição fosse hoje, Haddad venceria. Precisamos começar a ir trabalhando nisso, juntar as esquerdas, principalmente do Norte e Nordeste. Temos o governador do Maranhão, Flávio Dino que tem se destacado, o próprio Ricardo Coutinho. É o momento das esquerdas se juntarem, não se dividirem. Tem que pensar grande para as eleições municipais de 2020”, resumiu.