• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Servidores da UFPB fazem greve com doação de sangue para denunciar reformas

A assembleia geral dos servidores técnico-administrativos da UFPB, realizada na última quinta-feira, 21 de novembro, aprovou por unanimidade adesão à Greve Nacional de 48h  contra as reformas do governo

Publicado: 25 Novembro, 2019 - 16h29

Escrito por: Redação

Divulgação
notice

A assembleia geral dos servidores técnico-administrativos da UFPB, realizada na última quinta-feira, 21 de novembro, aprovou por unanimidade adesão à Greve Nacional de 48h  contra as reformas do governo e o desmonte do Estado, convocada para os próximos dias 26 e  27 de novembro pela Direção Nacional da Fasubra (Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil).

Como estratégia de dialogar com a população sobre a temática, o Sintespb (Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior da Paraíba) está promovendo uma campanha de doação de sangue entre os servidores, estudantes e demais usuários dos serviços da UFPB, com o mote “Eu dou o sangue pelo Serviço Público”.

Durante os dois dias de luta, os servidores técnico-administrativos da UFPB serão sensibilizados a fazer doação de sangue para o Hemocentro. O objetivo do ato é realizar uma atividade que possa dialogar com a sociedade em apoio à causa, já que novembro foi definido como o Mês do Doador pelo Hemocentro.

A programação se inicia às 08h00 no portão do CCHLA, onde os presentes estarão distribuindo panfletos denunciando os malefícios das PEC da Reforma Administrativa defendida pelo Governo Bolsonaro e mobilizando as pessoas para a campanha de doação de sangue. Em seguida, está prevista visita aos setores para dialogar com técnico-administrativos, docentes e estudantes.

Outro momento importante da programação de Greve será a realização na terça-feira à tarde, a partir das 14h, da Plenária de Construção do Fórum Estadual em Defesa do Serviço Público, com presença de centrais sindicais, movimentos sociais e parlamentares que apoiem a causa. Esta construção é uma das recomendações da Fasubra, para unificar as categorias contra a Reforma Administrativa. Para a Federação, “após a aprovação da nefasta PEC da reforma da Previdência e dos sucessivos ataques à educação, o governo novamente foca nos
trabalhadores, em especial nos servidores públicos, e envia mais um pacote de maldades ao
Congresso Nacional com três Propostas de Emenda à Constituição (PEC)”.

Fonte: Assessoria Sintespb