• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Reunião ampliada discute conjuntura dos trabalhadores rurais

Analisar a conjuntura nacional e como ela afeta os trabalhadores rurais. Este foi um dos objetivos da reunião ampliada realizada na quarta-feira última (3), no Polo da Borborema.

Publicado: 04 Julho, 2019 - 20h38

Escrito por: Elara Leite

Divulgação
notice

Analisar a conjuntura nacional e como ela afeta os trabalhadores rurais. Este foi um dos objetivos da reunião ampliada realizada na quarta-feira última (3), no Polo da Borborema. Com representantes de sindicatos de Remígio, Solânea, Alagoa Nova, Lagoa de Roça, Arara, Esperança, Areal, Montadas, Lagoa Seca e Pilões, a reunião teve ainda representações da ASPTA e do próprio Polo Sindical da Borborema, além da CUT-PB.

O evento contou com uma análise de conjuntura e uma rodada de diálogos sobre como os municípios estão sendo afetados pelas ações do governo. Os participantes também discutiram as opções para fortalecer a luta e construir um novo modelo de sindicatos para manter o enfrentamento contra as medidas do governo prejudiciais aos trabalhadores.

A assessoria jurídica realizou um panorama a respeito da Lei 13846/2019, que institui o Programa de Revisão de Benefícios que, segundo a análise, será prejudicial aos trabalhadores rurais em relação ao auxílio doença, perícias médicas, salário maternidade, pensão por morte e aposentadoria. A assessoria jurídica pontuou todos esses benefícios, explanou porque foi colocada essa reforma, com a finalidade de atingir os trabalhadores rurais para desestabilizar de fato a organização sindical. Foi discutida a possibilidade de elaborar um resumo da lei e encaminhar para os municípios. Isso será construído pelo Pólo com a assessoria jurídica.

Outro ponto de pauta foi o Congresso da CUT, no sentido de como será realizado e a quantidade de pessoas que participarão, bem como a deficiência de participação esse ano por falta de recursos. Os sindicatos têm até dia 10 para realizar assembleias e encaminhar atas para a CUT com os nomes dos delegados.

Entre as propostas, foi aprovado realizar seminários nas regiões da Paraíba, além de um evento estadual. Para isso, foi criada uma comissão para levar o assunto à FETAG e estabelecer uma agenda nesse sentido.

Mais um encaminhamento foi o reforço da necessidade de cada sindicato se organizar e fazer a disputa política de enfrentamento nos respectivos municípios, a disputa contra os retrocessos e o diálogo com os agricultores, tentando informa-los da realidade. “Não podemos deixar os agricultores se alienar com o que a mídia tem publicado e falado, precisa organizar a base nesse sentido”, afirmou Nelson Anacleto, coordenador do Polo da Borborema e tesoureiro do STR de Lagoa Seca.

Em relação à Reforma da Previdência foi encaminhado que se continuem as pressões, seja junto aos deputados federais, seja junto aos senadores, para ligar ou pressionar, ou até mesmo ir à Câmara.

Representaram a CUT-PB: Paulo Marcelo (presidente), Gilberto Paulino (tesoureiro), Paulo Tavares (secretário de organização) e Tião Santos (secretário de formação)