• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Plenária define encaminhamentos para a greve geral 14 de junho

Dez sindicatos urbanos participaram, na terça-feira última (4), de plenária deliberativa sobre a greve da próxima semana, dia 14 de junho.

Publicado: 05 Junho, 2019 - 22h47

Escrito por: Elara Leite

notice

Dez sindicatos urbanos participaram, na terça-feira última (4), de plenária deliberativa sobre a greve da próxima semana, dia 14 de junho. Além dos sindicatos, CUT e CTB também estiveram presentes, assim como movimentos sociais integrantes das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.


Conforme as deliberações, durante esta semana serão colados cartazes em diversos pontos da cidade para chamar atenção. A partir de segunda-feira (10), serão realizadas panfletagens nos contornos, terminais urbanos de passageiros e nos locais de trabalho de diversas categorias. Foi definido um comando de greve que irá se reunir no Sintricom para planejar todos os detalhes.


“Esses movimentos, sindicatos, frentes e centrais estão envolvidos nesse processo da greve geral e até a próxima semana haverá novas adesões. A sociedade não aguenta mais. O número de desempregados e de desalentados, quando somados aos subempregados, bate os 28 milhões fora do mercado de trabalho formal. Esse é um número assustador e nós avaliamos que está acontecendo uma grande tragédia”, afirmou o presidente da CUT-PB, Paulo Marcelo.


Para Paulo Marcelo, o ponto principal dessa greve é a luta contra a Reforma da Previdência, mas outras questões que se agregam à mobilização são os ataques à educação, níveis de desemprego crescente e a entrega do patrimônio público do país. “Questionamos se as reformas dão certo: a reforma trabalhista, o projeto de terceirização, tudo isso era para gerar emprego e o Brasil não apresentou nada de diminuição do número de desempregados. Essa é uma luta que não termina no dia 14 com a greve geral e virá em outros momentos, mas o objetivo principal agora é derrotar a reforma da previdência que já está provado que irá tirar os direitos dos mais pobres”, observou.


A diretoria da CUT-PB já se reuniu nesta quarta-feira (5), para discutir os primeiros encaminhamentos.