• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Entidades sindicais e estudantis cancelam ato público e mantêm greves e paralisações

As centrais sindicais, representações das categorias dos trabalhadores e movimentos sociais reuniram-se nesta segunda-feira (16) em reunião na qual foi definido pelo cancelamento de atos públicos

Publicado: 17 Março, 2020 - 12h56 | Última modificação: 17 Março, 2020 - 13h09

Escrito por: Elara Leite

notice

As centrais sindicais, representações das categorias dos trabalhadores e movimentos sociais reuniram-se nesta segunda-feira (16) em reunião na qual foi definido pelo cancelamento de atos públicos para evitar a disseminação do coronavírus. Na quarta-feira (18), Dia Nacional de Luta em Defesa do Serviço Público, da Educação e da Democracia, além das manifestações virtuais, está sendo incentivada a adesão à greve geral dos trabalhadores.

                “Diante da posição das centrais sindicais nacionais, se decidiu de seguir a orientação, suspender os atos e fortalecer as entidades que vão entrar em greve. Vamos fortalecer a comunicação virtual e panfletagens que expliquem a importância do isolamento individual, incentivando a greve”, comentou a secretária de comunicação da CUT-PB, Lúcia Figueiredo.

Apesar da motivação pelo cancelamento dos atos devido à disseminação do coronavírus, os protestos virtuais, panfletagens e cartas lembrarão o caráter político das ações, o incentivo à greve e mesmo diante da iminência de quarentena, o objetivo é conscientizar sobre a retirada de direitos que o governo federal vem promovendo. O movimento também irá exigir que o Congresso Nacional paralise suas atividades para que não sejam aprovados projetos contra o povo. A quarta-feira (18) deve ser um dia de cuidado e orientação contra o coronavírus, mas também um dia de protesto, pela educação, pela saúde e pelo fortalecimento do SUS.

Com a decisão, eventos como a plenária ampliada e a coletiva de imprensa previstos para esta terça-feira (17) foram canceladas.

A reunião teve representações do SINTECTPB, Levante da Juventude, ADUFPB, SINDIÁGUA-PB, SINTRICOM, PT, PSOL, PSTU, CTB, CUT-PB, SINTEP, SINDIFISCO-PB, Oposição ao Sindicato dos Motoristas, SINDJUF-PB, SINTESPB, CSP CONLUTAS, ARTEC, SINTSERF, SINTEM, MTD, Consulta Popular, SINTTEL, SINDECOM e Sindicato dos Jornalistas. A CUT-PB foi representada, na reunião, pelos dirigentes Paulo Tavares (secretário de organização e política sindical), Jéssica Andrade (secretária da juventude) e Lúcia Figueiredo (secretária de comunicação), Joel Nascimento (secretário executivo) e Maria da Penha Araújo (dirigente estadual).

Encaminhamentos

                Como principal encaminhamento, foi definido o cancelamento dos atos de rua conforme orientação das centrais sindicais nacionais. Outra decisão foi pela mobilização virtual massiva com cards e vídeos e impulsionamento nas mídias digitais.

As entidades também se comprometeram em distribuir cartas com conteúdos políticos nas casas das pessoas e panfletagem em locais estratégicos incentivando a greve geral dos trabalhadores. Carros de som passarão pelos bairros alertando a população do sobre a mobilização e denunciando os desmandos do governo.

Confira a nota emitida pelas entidades

18 DE MARÇO - DIA NACIONAL DE LUTA E PARALISAÇÕES

As entidades Sindicais, Estudantis e Sociais na Paraíba em respeito à Saúde do nosso povo e seguindo as orientações dos órgãos de saúde no Brasil (Ministério da Saúde, Secretarias de Saúde do Estado e Município) relacionadas a PANDEMIA do COVID-19 comunica a população Paraibana a suspenção dos atos de rua do dia 18/03 convocados como dia de Greve Nacional da Educação e em defesa dos serviços e servidores públicos, contra as privatizações das empresas públicas e pela Democracia no Brasil.

No entanto, nesse cenário, reafirmamos a necessidade de manter a paralisação e greves marcadas para esta data como forma de lutar pela Revogação da Emenda Constitucional 95 (teto de gastos), que reduz os investimentos em Saúde, Educação e Ciência que poderiam amenizar os efeitos do COVID-19; Exigir a retirada dos projetos que tramitam no Congresso Nacional que atacam os serviços públicos como a PEC 186/19 (PEC Emergencial) e também a Revogação da Reforma da Previdência nacional e nos Estados que retira direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, deixando-os em situação de maior vulnerabilidade social. Ao mesmo tempo, destacamos, que a Paralisação deve ser utilizada para contribuir com o esclarecimento da população sobre os cuidados necessários para evitar aglomerações de pessoas nos espaços públicos e privados.

Enquanto não se controla a PANDEMIA, exigimos respeito aos trabalhadores(as) no Brasil. Todas as Vidas Importam! Mais do que nunca é hora de defender o SUS, a Educação, a Ciência e o Funcionalismo Público na defesa do bem estar coletivo e na garantia da vida humana.

Entidades: SINTECTPB, Levante da Juventude, ADUFPB, SINDIÁGUA-PB, SINTRICOM, PT, PSOL, PSTU, CTB, CUT-PB, SINTEP, SINDIFISCO-PB, Oposição ao Sindicato dos Motoristas, SINDJUF-PB, SINTESPB, CSP CONLUTAS, ARTEC, SINTSERF, SINTEM, MTD, Consulta Popular, SINTTEL, SINDECOM e Sindicato dos Jornalistas.