• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-PB vai às ruas com a comunidade da UFPB contra a nomeação de interventor

O ato teve início às 16h na Praça da Paz, no bairro dos Bancários, e reuniu professores, servidores técnico-administrativos, alunos, sindicalistas e populares.

Publicado: 19 Novembro, 2020 - 17h38

Escrito por: Ascom CUT-PB/SINSTESPB

Divulgação CUT-PB
notice
O ato teve início às 16h na Praça da Paz, no bairro dos Bancários

Com leveza, animação e espírito de resistência, os três segmentos que formam a comunidade universitária da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) foram às ruas no final da tarde desta quarta-feira (18) demonstrar sua revolta contra a nomeação do último colocado na consulta eleitoral para reitor da UFPB.

Além da Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB) foram às ruas o Comitê de Mobilização pela Autonomia da UFPB, que unifica os sindicatos que representam os servidores da instituição (Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior da Paraíba-Sintespb e Associação dos Docentes da UFPB-Adufpb), e movimentos estudantis, a exemplo do Levante Popular da Juventude e do Movimento Correnteza, além de outros coletivos organizados dentro da instituição universitária. A manifestação conseguiu despertar a atenção das pessoas e mobilizar muita gente que saiu de casa para também se posicionar em defesa da universidade e contra a nomeação do reitor menos votado da lista tríplice.

O ato teve início às 16h na Praça da Paz, no bairro dos Bancários, e reuniu professores, servidores técnico-administrativos, alunos, sindicalistas e populares. Para Tião Gomes, presidente da CUT-PB, o ato foi positivo. “A CUT não poderia deixar de estar presente, se solidarizando e fortalecendo a paralisação e o ato. Estamos denunciando a arbitrariedade deste governo, acreditamos eu essa nomeação foi uma intervenção na UFPB e nós, como Central Única dos Trabalhadores devemos defender a democracia e seus princípios legais”, afirmou.

Divulgação CUTPBDivulgação CUTPB

Após o ato público, os manifestantes saíram em caminhada pela rua principal do Conjunto dos Bancários, que dá acesso à universidade, em direção à Reitoria da UFPB, onde estão acampados desde da posse do escolhido por Bolsonaro vários estudantes. No trajeto, o presidente da CUT-PB, Tião Santos, manifestou em seu discurso que a luta em defesa da autonomia universitária e da posse da reitoria mais votada “não era uma questão só dos que fazem a UFPB, mas de toda a sociedade paraibana que estariam até o fim junto àqueles que defendem a democracia”.

O ponto alto da caminhada foi a realização, de forma pacífica, de uma espécie de ‘escracho’, em frente ao condomínio onde reside o reitor Valdiney Gouveia. Os manifestantes pararam a caminhada e deram seu recado com músicas e palavras de ordem, depois prosseguiram, recebendo no percurso, a solidariedade de várias pessoas que passavam pela avenida em seus carros e motos, através de gestos de apoio.

A manifestação terminou já à noite em frente à Reitoria com uma apresentação cultural para animar os estudantes e fortalecer o movimento de ocupação, que está acontecendo em frente ao hall da Reitoria. Os integrantes do movimento disseram que só sairão de lá junto com o interventor Valdiney e com a posse da reitora eleita, Terezinha Domiciano.

As atividades desta quarta-feira também marcaram o encerramento da paralisação deflagrada pelos docentes e nesta quinta-feira será realizada uma nova assembleia para avaliação do dia. A Adufpb já foi comunicada que se não houver reposição das aulas pelo dia de hoje, haverá desconto nos contracheques.