• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-PB participa de organização da Marcha das Margaridas 2019

No último final de semana foi realizada a 1ª Reunião Preparatória da Marcha das Margaridas 2019, que será realizada no mês de agosto.

Publicado: 13 Maio, 2019 - 20h46

Escrito por: Elara Leite

Divulgação
notice

No último final de semana foi realizada a 1ª Reunião Preparatória da Marcha das Margaridas 2019, que será realizada no mês de agosto. O evento foi realizado em Campina Grande, com a participação do GT de Mulheres da ASA, CUT, MPA, Bruta Flor, Sedup, Recide, AJURCC, entre outros. A CUT-PB integrará a coordenação-geral da Marcha das Margaridas 2019, juntamente a outras entidades.

Entre os assuntos tratados, foram discutidos a construção de acordos em relação à marcha, uma rodada de percepções, um debate sobre o público agregado à atividade e a captação de recursos para sua realização. A CUT-PB foi representada, na reunião, por Luzenira Linhares, Secretária de Mulheres e Maria da Penha Araújo, Secretária de Meio Ambiente.

Para Luzenira Linhares, a Marcha das Margaridas na Paraíba se simboliza na resistência da grande líder sindical Margarida Maria Alves, um dos ícones na luta por melhores condições de trabalho no campo. “A Paraíba sempre foi protagonista nas lutas dos trabalhadores e trabalhadoras e, na figura de Margarida Maria Alves, encontra sua melhor tradução, tendo contribuído inclusive para a construção dos pilares da CUT-PB no Estado. Marcharemos contra o retrocesso instalado no nosso país desde o início do golpe em 2014. Soberania, popular, democracia, justiça social, igualdade e por uma vida sem violência são alguns dos temas da pauta da Marcha”, explicou.

Foi encaminhada a realização de momentos preparatórios tendo como referência os eixos da Marcha. Além disso, será realizado um encontro com os movimentos urbanos no final do mês de maio para a apresentação do evento e seus pontos de pauta. Um encontro estadual também será realizado em julho na cidade de Campina Grande.

Outras necessidades apontadas foram a criação de uma comissão de metodologia e um grupo de whatsapp para divulgar a agenda. A organização do evento buscará uma audiência com o Governador João Azevedo para tratar sobre o assunto.

Conforme a discussão, será resguardada a diversidade de participação das mulheres: jovens e adultas, negras, quilombolas, indígenas, lésbicas, trans e outras. Para viabilizar o evento, será realizada uma campanha de financiamento coletivo, além de eventos, cotas e auxílios de parlamentares e paróquias.