• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-PB participa de mobilização em nível nacional no Dia Mundial da Saúde

O objetivo da mobilização é reivindicar vacinas contra a Covid-19 e pedir ‘Fora Bolsonaro’

Publicado: 07 Abril, 2021 - 09h07 | Última modificação: 07 Abril, 2021 - 14h33

Escrito por: Ascom CUT-PB

notice

Nesta quarta-feira (7), é comemorado o Dia Mundial da Saúde. Em alusão à data, a Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB)  se une à CUT Brasil e à Frente Brasil Popular, na mobilização nacional  para reivindicar vacinas conta a Covid-19 para todos e todas, além da geração de emprego, quebra de patentes das vacinas e pelo  “Fora Bolsonaro”.

De acordo com o presidente da CUT-PB, Tião Santos, atos simbólicos marcarão o Dia Mundial da Saúde em várias partes do país. “Na Paraíba não podíamos ficar de fora, aderimos a esta manifestação da forma que podemos. Aqui em João Pessoa e em Campina Grande terá carros de som circulando nos bairros das duas cidades alertando a população sobre o desmonte que o Governo Bolsonaro está fazendo na saúde pública e realizando reivindicações”, afirmou.

Tião acrescenta que a circulação do carro de som é umas das melhores formas de conscientizar a população, “tendo em vista que ele libera informação em larga escala, chegando na casa de todo cidadão e cidadã, já que estamos impossibilitados de realizarmos grandes manifestações presenciais devido a pandemia da Covid-19”, disse o presidente. 

Para o Secretário de Saúde do Trabalhador da CUT-PB, Rômulo Xavier, além de refletir sobre os cuidados com a saúde, a data também serve para alertar para temas relacionados à esta área social como questões estruturais do próprio sistema que atende a população. Ele destaca que uma das pautas apresentadas na campanha é a luta pela universalização da vacina contra a Covid-19, uma luta que deve ser abraçada urgentemente para garantir a imunização de todos e todas ao invés de priorizar os lucros das empresas.

"Não é admissível que as empresas queiram obter lucros exorbitantes na situação de pandemia, da morte, com tantas pessoas perdendo seus empregos e suas vidas", defendeu. "É por isso que defendemos a quebra das patentes sobre as vacinas, para que a produção seja permitida pelos países e com isso se torne mais acessível para a população", disse Rômulo.

Ainda de acordo com o secretário, o descaso do Governo Federal com o povo tem agravado a crise sanitária promovida pelo Coronavírus. O último boletim do Consórsio Nacional de Secretarias de Saúde (CONASS) registrou mais de 4,1mil mortes por Covid-19 em todo o páis nas últimas 24h.

"A crise nacional acontece por conta da postura do presidente Jair bolsonaro desde o início da pandemia, que vem trazendo o caos com uma quantidade enorme de pessoas morrendo", apontou. "Vemos agora o agravamento da pandemia, chegando a mais de 4 mil pessoas mortas por dia, caminhando para 400 mil vítimas da doença, é sobre isso que queremos falar com a populção, contando o que está acontecendo em nosso país", explicou.

Programação Nacional

A CUT também realizará uma live, às 19h, para debater o atual cenário brasileiro. Entre os convidados estão o senador, médico e ex-ministro da Saúde, Humberto Costa (PT), o médico

sanitarista e pesquisador da Fiocruz, Cláudio Maierovitch e o presidente do Conselho Nacional de Saúde, Fernando Pigatto. Pela CUT também participa a secretária de Saúde do Trabalhador da Central, Madalena Margarida Silva e Antônio Lisboa, secretário de Relações Internacionais.

Na live, um dos eixos  a serem abordados será a vacinação no Brasil, um dos pontos fracos do Governo Federal. “A CUT definiu em suas resoluções elencar o ‘Fora Bolsonaro’ como luta central. É imprescindível associar isso a todas as lutas, como as pela vacina e pelo emprego, porque com ele no governo não vamos conseguir reverter essa situação”, afirmou a secretária de Saúde da do Trabalhador da CUT Brasil, Madalena Silva.