• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-PB participa de Congresso Nacional da central com delegação de 20 pessoas

  A cidade de Praia Grande, em São Paulo, está sediando, desde esta terça-feira (7), até a quinta-feira (10), as atividades do Congresso Nacional da CUT, na qual serão definidos os rumos da central e do sindica

Publicado: 08 Outubro, 2019 - 22h02 | Última modificação: 08 Outubro, 2019 - 22h11

Escrito por: Elara Leite

Divulgação
notice

A cidade de Praia Grande, em São Paulo, está sediando, desde esta terça-feira (7), até a quinta-feira (10), as atividades do Congresso Nacional da CUT, na qual serão definidos os rumos da central e do sindicalismo no país. A CUT-PB participa com uma delegação de vinte pessoas dentre os mais de 1550 delegados e 38 delegações internacionais de países como Argentina, Canadá, Itália, Colômbia, Alemanha e EUA.

Um Seminário Internacional antecedeu a abertura do Congresso, nesta terça-feira, abordando a atual estrutura sindical e perspectivas futuras. À noite, a abertura oficial do Congresso contou como presenças como a da ex-presidenta Dilma Rousseff; do ex-presidenciável Fernando Haddad; da presidenta do PT, Gleisi Hoffmann; dos deputados federais Vicentinho e Carlos Veras; além do professor Roberto Veras.

“O congresso está sendo interessante, muita gente atenta aos debates. O Seminário Internacional mostrou que o ataque aos direitos trabalhistas não é só no Brasil. Após a votação do regimento, começa um debate mais político dos rumos que deve tomar o movimento sindical no país nessa fase de ataque aos direitos, ataque direto ao movimento sindical”, avaliou o presidente da CUT-PB, Paulo Marcelo, participante da delegação paraibana.

O Congresso está sendo realizado em em Praia Grande com o apoio das colônias de férias dos sindicatos, que alojou delegações. A prefeitura cedeu o local do evento gratuitamente.

Conforme Paulo Marcelo, o movimento sindical não será mais o mesmo em 2020. “Acho que vamos sair daqui com algumas direções para o movimento sindical. Temos alguns desafios para enfrentar inclusive um debate que começa a aflorar sobre a fusão de sindicatos, grandes federações e com certeza muitas confederações. Assim não diminuímos o tamanho do sindicato. Eu já defendo isso há muito tempo e ontem teve duas falas muito boas defendendo essa linha. Para o movimento continuar forte e com sua representação em dia não dá para manter mais sindicatos com poucos associados e pouca representação”, comentou.

O presidente da CUT-PB acredita que o caminho será a fusão de muitas entidades que precisam de apoio. “A CUT deve apontar nessa direção colocar isso nos seus estatutos e encarar que precisamos discutir com urgência que uma reforma sindical em que possamos ter na lei garantia de respeito, de liberdade de exercer a defesa dos direitos sem essa truculência que está ocorrendo”, adiantou.

Após o Congresso Nacional da CUT, a etapa estadual da Paraíba será realizada em novembro, trazendo esse e outros debates. Paulo Marcelo acrescenta ainda que esse debate precisa ser feito com tranquilidade, porém sem baixar a cabeça. “Vamos fazer esse debate com muita tranquilidade dizendo aos trabalhadores que não podemos baixar a cabeça. A luta do sindicalismo continua e a missão do dirigente e da dirigente é defender a classe trabalhadora. Espero que essa delegação que está aqui possa chegar à Paraíba e fazer o debate nas regiões que estão esperando ansiosamente as diretrizes,” concluiu.