• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-PB participa de ato em apoio aos Trabalhadores de Telecomunicações

O SINTTEL realizou uma paralisação nesta quinta-feira (13) em frente a empresa LIQ, o objetivo foi reivindicar os salários atrasados da categoria

Publicado: 14 Maio, 2021 - 09h12

Escrito por: Ascom CUT-PB

Divulgação
notice
Os profissionais estão desde o último dia 07 de maio com os salários atrasados.

A Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB) participou de ato, realizado nesta quinta-feira (13), em apoio ao Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações (SINTTEL). A categoria realizou uma paralisação de advertência das 08h às 14h em frente LIQ. em João Pessoa, empresa de telemarketing, responsável pela operação das empresas Latam, Rappi, Abril, Santander e Oi.

Desde o último dia 7 de maio, que é o quinto dia útil do mês, data em que deveriam receber os salários referentes a abril, os atendentes estão sem receber dinheiro. Essa é uma situação recorrente para os funcionários dessa empresa de telemarketing. Na manhã desta quarta (12), os atendentes também cruzaram os braços. 

O presidente da CUT-PB, Tião Santos, esteve na mobilização e afirmou o compromisso em defender os direitos trabalhistas da categoria. “Os atendentes de telemarketing já vivem em uma situação de trabalho bastante precarizada, imagina sem receber seus salários, é um absurdo. Estamos aqui para lutar sim  pelo o direito do trabalhador e da trabalhadora”, afirmou.

Casos como atraso de salários e falta de pagamento de férias e rescisão de contrato de trabalho são comuns para essa categoria. Os relatos dos trabalhadores da LIQ sempre envolvem medo do desemprego e pressão dos dirigentes para que se batam as metas, no entanto, direitos trabalhistas mínimos não são cumpridos. 

"A empresa está pagando as passagens em valores diários. Ou seja, a empresa coloca na nossa conta um valor referente a quantidade de 4 passagens, são dois dias de ida e volta. Porém, a maioria das pessoas possue  uma conta gerada pela própria empresa, que se chama a superdigital, que é do Santander. Temos direitos a 3 saques, junto com transferência, sem custos. E depois dessas 3 utilizações, é cobrado um valor de R$ 5 e pouco por cada transferência e saque. Muitas pessoas deixam de vir trabalhar por falta dessa passagem, pois não compensa fazer o saque para colocar o crédito no cartão de passagem. Ou acabam tirando do próprio bolso. Coordenadores falam sempre que estão alinhando para resolver isso mas nunca resolvem, isso desde o início da pandemia", relata um dos funcionários que pediu para não ser identificado.

Procuramos a LIQ para explicar essa situação recorrente, mas não obtivemos respostas até o momento. Os funcionários seguem mobilizados e reivindicando a resolução de seus problemas trabalhistas.

 

Com informações do Brasil de Fato