• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-PB orienta sindicatos filiados em relação à disseminação do coronavírus

Diante da disseminação do coronavírus e do primeiro caso confirmado na Paraíba, a CUT-PB manifesta sua preocupação com a saúde dos trabalhadores e da população de modo geral.

Publicado: 20 Março, 2020 - 09h06

Escrito por: Elara Leite

Divulgação
notice

Diante da disseminação do coronavírus e do primeiro caso confirmado na Paraíba, a CUT-PB manifesta sua preocupação com a saúde dos trabalhadores e da população de modo geral. As atividades presenciais na sede da central no Estado já foram suspensas nesta semana para não expor nem os funcionários que trabalham no local, bem como seus dirigentes. As atividades presenciais na sede estão suspensas até o final do mês, quando será reavaliado pela continuidade do isolamento social ou retorno às rotinas normais.

O presidente da CUT-PB, Tião Santos, solicitou a compreensão e a sensibilidade de todos os sindicatos filiados para que também tomem medidas de precaução como suspender as atividades presenciais. “A nossa preocupação e nosso apelo aos dirigentes e aos sindicatos é pela integridade da saúde de todos. Estamos muito preocupados com a classe trabalhadora, uma vez que temos categorias que estão totalmente expostas ao atendimento ao público, a exemplo dos bancários, dos profissionais de saúde, dos comerciários, do telemarketing, entre outras”, comentou.

A CUT-PB está pedindo que as autoridades locais adotem medidas, já que o momento em que o vírus chega ao Brasil já era de fragilidade econômica que impactou diretamente os trabalhadores. “Esse vírus chegou ao Brasil em um momento sombrio em que a economia está estagnada, com o desmonte do serviço público, o desemprego e o mercado de trabalho em crise, em declínio do emprego formal. A CUT-PB vai continuar cobrando do poder público para que as medidas sejam de prevenção, que sigam as orientações conforme os órgãos da saúde e a própria OMS para que o trabalhador não esteja exposto,” pontuou Tião.

Para ele, além das categorias formais que lidam diretamente com o público, é preciso também tomar medidas em relação aos trabalhadores autônomos, como os ambulantes. “Esses trabalhadores não têm como sobreviver se não estiverem expostos na rua e estão muito mais vulneráveis,” alertou.

O presidente da central na Paraíba também orienta que os trabalhadores que podem se isolar sejam conscientes e fiquem em casa. “Muitas vezes a empresa ou o órgão público tomou as cautelas, mas o trabalhador às vezes não entende e sai de casa. Apelamos que trabalhadores que podem mantenham-se em casa”, conclamou Tião.

O coronavírus vem causando efeitos prejudiciais que se estendem desde a saúde da população até a economia, o que se reflete diretamente nos trabalhadores. Para o secretário de saúde da CUT-PB, Rômulo Xavier, é preciso garantir e preservar a saúde dos trabalhadores de modo geral e os da área da saúde que estão envolvidos diretamente com o tratamento das pessoas com o vírus. “A orientação da secretaria de saúde da CUT-PB é primeiro cumprir esse chamamento à sociedade para ficar isolados nesse momento, evitando contato direto. Sabemos que essas epidemias têm um pico e que há necessidade de tratamento em determinados casos, o que demanda estrutura hospitalar para a população. Por isso é preciso minimizar a situação evitando que ocorra um número muito grande de pessoas infectadas, sobretudo os grupos de risco como idosos”, explicou.

Rômulo acrescentou ainda que os trabalhadores devem exigir dos seus empregadores, através de seus sindicatos, que se faça valer essas medidas com o trabalho fora do seu ambiente de risco direto, evitando também o contato e deslocamento que também é uma forma de contaminação, no transporte coletivo, sempre que possível.

A situação do trabalhador, de acordo com Rômulo, deve ser analisada, uma vez que ele precisa manter a sua família, já que sem salário não é possível sobreviver. “Tem que garantir a manutenção do salário, porque o trabalhador não é o que está dando causa a essa situação. Em relação aos trabalhadores da saúde, deve-se manter as condições adequadas para desenvolvimento do seu trabalho. Esse momento mostra a importância do papel do Estado como quem tem a obrigação de desenvolver políticas públicas para atender a população”, ressaltou.