• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-PB e Sindicatos filiados lançam campanha de arrecadação de alimentos

“Vacina contra a fome” é o tema da ação que será lançada na segunda-feira (26), a partir das 19h, em Plenária Sindical Virtual

Publicado: 24 Abril, 2021 - 18h59 | Última modificação: 24 Abril, 2021 - 19h05

Escrito por: Ascom CUT-PB

Divulgação/CUT-PB
notice
A Campanha de Solidariedade da CUT será permanente.

A Central Única dos Trabalhadores da Paraíba, através das Secretarias do Meio Ambiente e de Políticas Sociais, realiza nesta segunda-feira (26), a partir das 16h, o lançamento da Campanha  “Vacina contra a fome” junto aos sindicatos filiados. A Campanha Solidária consiste em arrecadação de alimentos não perecíveis para aquelas famílias que estão passando necessidade em decorrência da crise provocada pela pandemia.

A solenidade de lançamento acontece através de uma Plenária Sindical e tem como objetivo apresentar a campanha de solidariedade, que faz parte da programação nacional da CUT,  na semana que antecede o dia 1º de maio.

De acordo com a Secretária de Políticas Sociais da CUT-PB, Elinete Rolim, a campanha de arrecadação de alimentos tem sido uma prioridade diante da situação em que o país se encontra devido a pandemia da Covid-19. “Esperamos que todos os sindicatos filiados possam participar desta campanha, porque o objetivo é fazer com que as pessoas possam despertar a solidariedade que existe em cada um de nós”, afirmou.

Elinete Rolim ainda afirma que além da campanha e o pedido de vacina para todos, também é necessário lutar contra o descaso do governo Bolsonaro. “Pedimos vacina contra tudo isso que nosso povo está passando, contra a miséria, a violência, o descaso do presidente que não dá valor a vida. Vamos ter coragem de lutar contra esse Governo que só nos maltrata, escraviza e nos deixa sem direitos”, disse. “Juntos somos fortes, somos CUT. Vamos à luta”, concluiu a secretária.

Fome no Brasil

Como consequência do congelamento do orçamento geral da União, congelado em 2016 por Michel Temer e mantido no governo Bolsonaro, os investimentos nas principais atividades produtivas e serviços do país foram reduzidos de forma drástica. A consequência foi o alto índice de desemprego, fome, miséria e a piora no serviço público.

O secretário de Meio Ambiente da CUT-PB, Ednaldo Leite,  disse que diante deste cenário que vivemos no Brasil é importante não apenas distribuir alimentos, “mas mobilizar os setores organizados da sociedade civil para o enfrentamento das causas dos problemas provocados pelas políticas públicas de cunho neoliberal”, ressaltou.

Ednaldo Leite informou ainda que a Campanha de Solidariedade da CUT terá caráter permanente enquanto perdurar a situação de dificuldade e miséria provocada pela desastrada política econômica e as ações nefastas de enfrentamento a pandemia adotadas pelo Governo Bolsonaro.

A primeira etapa de arrecadação de alimentos será destinada à categoria das empregadas domésticas, que foi um dos segmentos profissionais mais atacados pelos reflexos da pandemia.