• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-PB apoia ato realizado em Brasília em defesa da volta do auxílio emergencial

A mobilização acontece na quarta-feira (26) na Esplanada dos Ministérios e será transmitida através das redes sociais

Publicado: 25 Maio, 2021 - 22h44

Escrito por: Ascom CUT-PB

Divulgação/CUT-PB
notice
O ato começa às 7h na Praça dos Buritis.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT-PB) apoia ato nacional que será realizado, nesta quarta-feira (26), em defensa do auxílio emergencial de R$ 600, contra a fome e a carestia. A mobilização será realizada na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, a partir das 10h e será transmitida pelas redes sociais das entidades que compõe o ato.

Nos estados, também serão realizados atos nas capitais e grandes cidades. Porém, de acordo com Tião Santos, presidente da CUT-PB, “devido ao agravo da pandemia da Covid-19 na Paraíba, escolhemos que não haverá uma mobilização aqui no estado de forma presencial. O que pedimos é que todos assistam a transmissão e participe dando apoio”, afirmou.

Atualmente no Brasil já são cerca de 14,5 milhões de famílias na linha da pobreza devido ao descaso do governo de Jair Bolsonaro. “Sabemos que existe uma grande miséria que assola o nosso país, há milhares de pessoas em situação de rua, não temos políticas públicas para o público carente, vivemos em um governo onde não se tem a mínima preocupação com os desfavorecidos”, disse Tião Santos.

Além da mobilização, a CUT-PB também reforça o pedido aos sindicatos filiados e frentes populares, que pressionem os deputados estaduais para que possam apoiar a volta do auxílio emergencial. Segundo Tião Santos, “além do ato, da pressão que estamos fazendo, também vamos encaminhar uma carta a esses parlamentares para que eles possam escutar o clamor do povo e atender a quem mais precisa”.

Em Brasília

O ato começa às 7h na Praça dos Buritis. Caminhões com cestas de alimentos do MST e da Contag sairão em direção à Esplanada dos Ministérios, mas a transmissão ao vivo está programada para à 10h, no momento em que lideranças da CUT, centrais e de movimentos sociais farão o protesto e, em frente ao caminhão de som, serão colocados os três carrinhos de compras com produtos possíveis de se comprar com o auxílio emergencial.

Faixas com o mote do ato - Vacina no Braço/Comida no Prato; Pelo auxílio de R$600 - também estarão dispostas no gramado.

Ao meio-dia, acontece o ato de entrega da Agenda Legislativa das Centrais Sindicais a lideranças do Congresso Nacional

 

Acompanhe nas redes sociais:

Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=x_XZV0nDRCo

Facebook: https://www.facebook.com/494283440671145/posts/3547269918705800/

 

Confira a carta da CUT PB encaminhada aos parlamentares para que seja repercutida nas redes sociais dos sindicatos CUTistas:

Exmo. Sr. Deputado(a) e Senadores(as)

Nesta quarta-feira (26), a Central Única dos Trabalhadores, demais centrais sindicais, Contag e movimentos sociais estarão em Brasília realizando um ato público para sensibilizar os parlamentares das duas Casas para a aprovação do auxílio emergencial de R$ 600 reais, visando acabar ou pelo menos minimizar a fome e os efeitos da carestia que estão levando a miséria para todos os recantos do país.

Todos sabemos que a fome tem pressa e mata de forma dolorosa tanto quanto a Covid19. É fato que a pobreza extrema já se espalha pelo Brasil e por nossa Paraíba. Já são 14,5 milhões de famílias brasileiras que se encontram nessa situação por causa do descaso do Governo Federal com a população mais pobre e mais impactada pela pandemia do coronavírus.

Portanto, a CUT-PB e seus sindicatos filiados solicitam de V.Sª o voto na aprovação da volta do auxílio emergencial de R$ 600,00 reais.

Chamamos ainda a atenção de V.Sª para outras pautas que irão a plenário no segundo semestre e que são danosas para a classe trabalhadora e à população no geral, a exemplo da reforma administrativa, que significa a destruição dos serviços públicos, e a privatização de nossas estatais.

Certos da compreensão e sensibilidade de nossos parlamentares Paraibanos no Congresso Nacional, nos despedimos com cordiais saudações.

 

A direção.