• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Campanha chama atenção para violações à liberdade de expressão

A Campanha Calar Jamais, lançada na Paraíba na última semana durante o IV Encontro de Comunicação da CUT-PB, tem como objetivo chamar atenção para a repressão à liberdade de expressão

Publicado: 30 Julho, 2019 - 22h29 | Última modificação: 30 Julho, 2019 - 22h34

Escrito por: Elara Leite

Divulgação
notice

A Campanha Calar Jamais, lançada na Paraíba na última semana durante o IV Encontro de Comunicação da CUT-PB, tem como objetivo chamar atenção para a repressão à liberdade de expressão e violações dos direitos humanos. A atividade de lançamento faz parte das ações do Fórum Nacional pela Democratização (FNDC) no Estado.

Durante o evento, o Secretário Adjunto de Comunicação da CUT nacional e representante do FNDC, Greg Admirsom Medeiros, lembrou a importância dos sindicatos de filiarem ao Fórum e levantar a bandeira da democratização da comunicação. “Sem democracia na comunicação não existe país democrático. A segunda etapa da campanha Calar Jamais consiste no combate às violações a liberdade de expressão de forma institucional não mais a casos isolados”, ressaltou Greg.

A Secretária de Comunicação da CUT-PB, Lúcia Figueiredo, acrescentou que a conjuntura atual dá novo significado à campanha porque a violação à liberdade de expressão e aos direitos humanos parte atualmente do institucional, do próprio Estado, do governo brasileiro. “É o que acontece com o companheiro Glenn Greenwald, jornalista do The Intercept, que fez um trabalho digníssimo investigativo e está sendo ameaçado, além de outros casos que estamos vivenciando”, pontuou.

Para Lúcia, essa campanha tem esse principal objetivo de mobilizar a sociedade e os comitês estaduais para ficarem atentos contra essas violações dos direitos humanos e da liberdade de expressão. “No IV Encontro de Comunicação, como a CUT faz parte da coordenação nacional do FNDC e na Paraíba acontece da mesma maneira, não tinha lugar mais propício no Estado para a segunda etapa neste momento. E ainda tivemos nosso Encontro Estadual em uma plenária de trabalhadores”, comemorou.

De acordo com o manifesto da campanha, “o Brasil volta a ser ameaçado pela mordaça da censura. A marca do governo Jair Bolsonaro é o combate ao jornalismo livre, ao pensamento livre e à cultura livre. A liberdade de expressão é um direito fundamental. Em tempos de polarização política e de ascensão de discursos autoritários e de ódio, com ataques frontais à própria democracia, a luta pela plena garantia desse direito precisa ser intensificada”, observou o documento.