• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

16a Plenária Estadual da CUT-PB faz balanço das ações e debate intenso da cojuntura

A 16a Plenária Estadual da CUT foi realizada nos dias 27 e 28/8, com um intenso debate sobre a conjuntura, o balanço de ações da CUT-PB

Publicado: 21 Setembro, 2021 - 16h41 | Última modificação: 22 Setembro, 2021 - 10h26

Escrito por: ASCOM CUT-PB

notice

A 16a Plenária Estadual da CUT foi realizada nos dias 27 e 28/8, com um intenso debate sobre a conjuntura, o balanço de ações da CUT-PB e a definição conjunta de estratégias político-sindicais nos territórios e macrossetores, articuladas aos eixos estratégicos e de lutas da CUT Nacional. 

Foram credenciados 88 participantes, sendo 43 delegadas/os de base, 3 suplentes, 29 delegadas/os natos da Direção Executiva, 8 observadoras/es, 4 convidadas/os e 1 apoio.

O percentual de Mulheres sobre o total de participantes foi de 54,55% e o participação das delegadas chegou a 54,67%, mostrando uma qualificada presença das companheiras na definição dos rumos da CUT.

A Plenária foi bastante prestigiada por dirigentes da Executiva Nacional: Carmem Foro, Secretária Geral, Graça Costa, Secretária de Organização e Política Sindical, Janeslei Albuquerque, Secretária de Mobilização e Movimentos Sociais, Madalena Margarida da Silva, Secretária de Saúde do Trabalhador e Admirson Medeiros Ferro, Secretário-Adjunto de Comunicação. Também contou com a presença das assessoras da Nacional, Raimunda Celestina e Elaine Neves.

Para os debates de conjuntura participaram Ricardo Berzoini, ex-deputado e ex- Ministro de Lula, o Deputado Federal Carlos Veras (PT-PE) e o Diretor Técnico do Dieese Nacional, Fausto Augusto Jr.

A Plenária teve participação do macrossetor comércio e serviços com 20 delegadas/os, sendo 5 do comércio e 15 dos serviços. Do Serviço Público foram 21 municipais e 21 federais, 9 da indústria e metalurgia e 4 rurais.

A Plenária elegeu 12 delegadas/os, sendo 9 efetivos e 3 suplentes. São 5 companheiras efetivas e 2 suplentes.

Além do debate político e a interação e participação ativa no ambiente virtual, a Plenária teve momentos culturais que encantaram e sensibilizaram a todas e todos com as apresentações musicais de Yure Carvalho e Sarah Lorena.

A Plenária aprovou emendas ao Texto Base da Direção Nacional sobre as seguintes políticas: Mulheres, Juventude, Comunicação, Cultura e Organização Sindical.

As moções aprovadas pediram o #ForaBolsonaro, em defesa do direito à educação inclusiva e repudiando o Ministro da Educação pelas suas declarações discriminatórias contra as pessoas com deficiência e a favor do elitismo nas universidades. A Plenária se manifestou em solidariedade às vítimas da covid-19 e às mulheres vítimas de assédio moral e sexual e violência doméstica.

A CUT-PB aprovou também moção em defesa dos correios e dos serviços públicos, contra as privatizações, em defesa do SUS, contra a aprovação do marco temporal da demarcação de terras indígenas e contra os ataques à democracia e às instituições democráticas.

A urgência de combater o machismo, a misoginia e o patriarcalismo no Brasil, onde as mulheres sofrem todo tipo de violência e tem aumentado o feminicídio, levou as Delegadas e Delegados a proporem uma Moção de apoio ao povo afegão, em especial de solidariedade às mulheres afegãs vítimas de violência e tratamento degradante, repudiando as práticas do Talibã e reivindicando ações humanitárias contundentes.

A 16a Plenária Estadual da CUT foi realizada nos dias 27 e 28/8, com um intenso debate sobre a conjuntura, o balanço de ações da CUT-PB e a definição conjunta de estratégias político-sindicais nos territórios e macrossetores, articuladas aos eixos estratégicos e de lutas da CUT Nacional.

Foram credenciados 88 participantes, sendo 43 delegadas/os de base, 3 suplentes, 29 delegadas/os natos da Direção Executiva, 8 observadoras/es, 4 convidadas/os e 1 apoio.

O percentual de Mulheres sobre o total de participantes foi de 54,55% e o participação das delegadas chegou a 54,67%, mostrando uma qualificada presença das companheiras na definição dos rumos da CUT.

A Plenária foi bastante prestigiada por dirigentes da Executiva Nacional: Carmem Foro, Secretária Geral, Graça Costa, Secretária de Organização e Política Sindical, Janeslei Albuquerque, Secretária de Mobilização e Movimentos Sociais, Madalena Margarida da Silva, Secretária de Saúde do Trabalhador e Admirson Medeiros Ferro, Secretário-Adjunto de Comunicação. Também contou com a presença das assessoras da Nacional, Raimunda Celestina e Elaine Neves.

Para os debates de conjuntura participaram Ricardo Berzoini, ex-deputado e ex- Ministro de Lula, o Deputado Federal Carlos Veras (PT-PE) e o Diretor Técnico do Dieese Nacional, Fausto Augusto Jr.

A Plenária teve participação do macrossetor comércio e serviços com 20 delegadas/os, sendo 5 do comércio e 15 dos serviços. Do Serviço Público foram 21 municipais e 21 federais, 9 da indústria e metalurgia e 4 rurais.

A Plenária elegeu 12 delegadas/os, sendo 9 efetivos e 3 suplentes. São 5 companheiras efetivas e 2 suplentes.

Além do debate político e a interação e participação ativa no ambiente virtual, a Plenária teve momentos culturais que encantaram e sensibilizaram a todas e todos com as apresentações musicais de Yure Carvalho e Sarah Lorena. 

A Plenária aprovou emendas ao Texto Base da Direção Nacional sobre as seguintes políticas: Mulheres, Juventude, Comunicação, Cultura e Organização Sindical.

As moções aprovadas pediram o #ForaBolsonaro, em defesa do direito à educação inclusiva e repudiando o Ministro da Educação pelas suas declarações discriminatórias contra as pessoas com deficiência e a favor do elitismo nas universidades. A Plenária se manifestou em solidariedade às vítimas da covid-19 e às mulheres vítimas de assédio moral e sexual e violência doméstica.

A CUT-PB aprovou também moção em defesa dos correios e dos serviços públicos, contra as privatizações, em defesa do SUS, contra a aprovação do marco temporal da demarcação de terras indígenas e contra os ataques à democracia e às instituições democráticas.

A urgência de combater o machismo, a misoginia e o patriarcalismo no Brasil, onde as mulheres sofrem todo tipo de violência e tem aumentado o feminicídio, levou as Delegadas e Delegados a proporem uma Moção de apoio ao povo afegão, em especial de solidariedade às mulheres afegãs vítimas de violência e tratamento degradante, repudiando as práticas do Talibã e reivindicando ações humanitárias contundentes.

Delegação que representará a CUT-PB Plenária nacional:

NATOS

Magali Pontes da Silva - SEEB JP

Sebastião José dos Santos - SINPUC (CIDADE: NOVA PALMEIRA) 

TITULARES

Eurídice Ferreira de Almeida - SINTESPB

Paulo Benicio Vicente - SINSERCAP (CIDADE: CAPIM)

Elinete Lourenço Rolim - SINFUMC (CIDADE: CAJAZEIRAS

Rogério Braz de Oliveira - SINECOM

Marta Bernardino Sena da Silva - SINTTEL

Geraldo Quirino da Costa - SINDIAGUA PB

Maria Leonia Gomes de Lima- SINTEP

Edmilson da Silva Souza - SINTRICOM

Maria Gizelda Beserra Lopes - STR LAGOA SECA

SUPLENTES

Maria da Penha Araújo - SINTEM

Jose Lucivaldo Torquato Cordeiro - SISEMBANS (CIDADE: BANANEIRAS)

Vania Jorge da Silva - SINFESA